Warning: fopen(logs/log_ouvindo_opinioes.txt) [function.fopen]: failed to open stream: No such file or directory in /home/storage/6/a1/fc/edudelphipage/public_html/includes/edp_log.php on line 6

Warning: fwrite(): supplied argument is not a valid stream resource in /home/storage/6/a1/fc/edudelphipage/public_html/includes/edp_log.php on line 8

Warning: fclose(): supplied argument is not a valid stream resource in /home/storage/6/a1/fc/edudelphipage/public_html/includes/edp_log.php on line 9
 EduDelphiPage - Ouvindo Opiniões | Qual versão do Delphi utilizar?

Ouvindo Opiniões

Qual versão do Delphi utilizar?

Opinião escrita por Liandro J. Bulegon

Sobre o autor: Formado em Eletrotécnica pela Universidade Federal de Santa Maria(UFSM), Comunicação Social pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) e Programador por Paixão. Atualmente é Gerente de Marketing da Aquasoft, parceira Borland no Estado do Rio Grande do Sul e atua como Analista de Sistemas junto a Companhia de Processamento de Dados do Estado do Rio Grande do Sul (PROCERGS) em projetos de Saneamento Básico, utilizando Delphi e Oracle

Contato: lbulegon@aquasoft.com.br

Vou falar francamente aqui, por dois motivos, o primeiro deles é que a grande maioria dos leitores desta coluna sabem, e vivenciaram todos estes ruídos pelo qual o Delphi passou nesses últimos tempos, o segundo motivo é que entre amigos não precisamos fazer rodeios.

Acompanho o Delphi desde antes dele nascer, aprendi lógica de programação com Turbo Pascal 7. Foi emocionante ouvir falar que, um certo software iria permitir que num click apenas teríamos gerado uma janela do Windows, prontinha, prontinha. Para quem programava em Pascal este era o sonho de consumo. E assim foi se desenvolvendo uma ferramenta que ano após ano agregou valor ao meu trabalho, até culminar na versão considerada o supra-sumo da produtividade, o Delphi 7.

As coisas estavam nos trilhos até então, e tudo corria bem. Percebíamos e olhávamos de longe o tal do Java crescendo, o .Net se desenvolvendo, mas meus clientes continuavam satisfeitos com as soluções win32 que desenvolvia para eles, então estava tudo bem.

A coisa começou a ficar perigosa com o resultado da guerra dos Browsers, quem não lembra do episódio? O Internet Explorer passou a habitar a maioria dos computadores pessoais, e logo a Internet era uma febre.

Surfando nesta onda de processamento distribuído e possibilidade de negócios em rede, o Browser passou a representar a base para a maioria das aplicações que surgiam. Meus clientes, satisfeitos até então começaram a me perguntar: tá, e soluções para Web?

Acredito seriamente que esta mesma pergunta deva ter chegado, também, aos ouvidos dos Diretores da Borland. E com toda sua proatividade desejaram dar uma resposta rápida ao mercado, como sempre foi o costume da empresa. Mas como diz o poeta, "existe distância entre intenção e gesto" e o Delphi 8 saiu pior do que a encomenda. Vou falar a vocês, se eu abri o Delphi 8 mais do que umas 10 vezes estarei mentindo.

Daí veio a versão do Delphi 2005, bem em conversas durante o BORCON daquele ano percebi a nítida tendência da Borland em incorporar as tecnologias da Microsoft. O WinForms dentro da ferramenta da Borland soava como um corpo estranho. Mas tudo bem, pensei eu, os caras devem saber o que estão fazendo.

Fiquei realmente assustado quando, na versão do Delphi 2007 os caras anunciaram que arrancaria fora aquele corpo estranho que estava entalado lá no 2005, pensei então: opa os caras não sabem mais o que estão fazendo. Um amigo me confessou no auge da crise: "foi um erro ter colocado WinForms dentro do Delphi". Eu concordei com ele. Nessa altura do campeonato a CodeGear já estava sob a orientação mercadológica da Embarcadero. E eu pensei com meus botões, vamos ver no que dá e paguei pra ver.

Quando a Embarcadero lançou o 2009 e separou as coisas entre Delphi e Prism eu respirei fundo e pensei: "parece que a bobeira passou". No Delphi 2009 as coisas voltaram a faze sentido novamente. A estabilidade dele lembra a saudosa estabilidade do Delphi 7. Hoje posso falar com toda a convicção, eu programo em Delphi 2009, e estou muito satisfeito. Logo, logo está saindo a versão 2010 e me parece que trás novos recursos que vão me ajudar bastante. Fazia tempo que não me sentia assim.

Minha única dúvida neste momento é quais serão os rumos que o Delphi Prism irá tomar. Mas de qualquer forma, sinto a estabilidade comercial voltar a reinar no mundo Delphi e o resultado esta aparecendo. Tímido ainda, mas constante. Isso nos dá segurança.

O próximo passo agora é esperar pela decisão que tomaram ao querer prover uma solução que gere código para diversas plataformas. Experiência, nesta área, já se tem com o Kylix. Em vez de portar toda a IDE para que rode em cada uma das plataformas, toma-se a sábia decisão de, na plataforma em que a IDE já esteja estável, no caso o Windows, gere os códigos para todas as outras. Esta é uma ótima estratégia, esperamos que funcione.

Para terminar só me resta voltar a invocar aquele conhecido grito de gerra: " Go Delphi Go". Talvez mais a diante "Go Prism Go!". E respondendo a provocação do nosso querido editor: "Programar em Delphi não tem preço."

Comentários

Nenhum comentário foi feito ainda
 

"Ouvindo" Opiniões (as mais lidas)

Em breve, aguarde!!!

Pharetra Sed Tempus

Morbi sit amet mauris Nam vitae nibh eu sapien dictum pharetra. Vestibulum elementum neque vel lacus. Lorem ipsum dolor sit dolore phasellus pede lorem proin auctor dolor loremmassa phasellus sit. More…

Outras edições da Revista Active Delphi